Seguidores

domingo, 20 de janeiro de 2013

Infinita Ins'piração (mal do poeta)




O poeta cansa (não)
De versejar o fabuloso
Mundo poético

http://amaurimunguba.blogspot.com.br/2011/10/mal-de-poeta.html
Acesso em janeiro 2013

5 comentários:

  1. [que o coração rumine em paz o indigerível e meus olhos vejam sempre o que tenho diante dos olhos]

    [contém 1 beijo]

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Quando um dia o poeta cansa
    De versejar, e ao ócio se lança
    Seu verso se esconde
    Não se sabe onde
    E conforme música não mais dança.

    ResponderExcluir
  3. Ele fica exausto, mas e daí...

    Bom haicai, meu caro!!

    ResponderExcluir
  4. O poeta... elo entre esses dois mundos

    ResponderExcluir
  5. Cansa não meu irmão.
    Esse é o seu mundo. Um mundo cheio de haikais.
    Muito bom.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir

Muitíssimo obrigado pela sua visita.